startup-593324_1920.jpg

Artigos

Capturar.JPG

Oscar K N Asakura - CBO

 

Reflexão sobre a Covid-19

 

         Nos últimos dias, a partir do dia em que foi anunciada a pandemia mundial do NOVO CORONAVÍRUS, tenho lido e observado vários pontos de vista: noticiários, ações e reações das pessoas sobre este acontecimento global e que atinge uma grande parte da população mundial. Alguns poucos justificam o acontecimento como fruto de uma teoria conspiratória; outros dizem que é resultado das ações realizadas na natureza pelo ser humano ao longo da sua história, muitos sentem medo de contrair a doença e pavor pelo futuro da humanidade; alguns menosprezam a gravidade do caso; outros acreditam que o resultado disso tudo será positivo para a humanidade e assim por diante.

Coronavirus 3D.jpg

    Particularmente, eu acredito que o resultado sobre tudo que ocorreu, que está acontecendo e que surgirá devido a COVID-19, irá estabelecer um novo equilíbrio entre todos os seres que habitam a nossa terra e assim a TERRA, com os seus ocupantes, continuará no seu caminho de forma melhor e boa para os que sobreviverem.Assim, continuo acreditando que o nosso futuro será melhor. Para isso ocorrer, eu proponho refletir sobre alguns conceitos fundamentais necessários para este novo momento que são:

 

  • A seriedade da vida;
     
  • A gratidão como pedra fundamental da vida e ...
     
  • A importância dos dados para a vida.

 

Lives

A seriedade da vida


    Disse um anônimo Joe Kelly – “Todas as coisas que vivem, morrem. É por isso que você deve encontrar alegria nos vivos, enquanto o tempo é seu, e não temer o fim. Negar isso é negar a vida. Temer isso é temer a vida.” Enquanto lemos esta simples frase, a pandemia continua a expandir de forma assustadora e com isso só posso desejar boa sorte para aqueles que estão se esforçando ao máximo para viver. Recomendar para os que ainda tem muitos privilégios não subestimar a vida, pois somos apenas humanos que tendem a ter doenças e eu agradeço a Deus por me permitir sentir tantas coisas, emoções e experimentar a maravilha da vida.

 

A importância dos dados para a vida

 

     A minha vida se encheu de muita bondade. O que tomo em comparação com a quantia que ofereço e dou, não é suficiente para aqueles que estão ao meu redor. Todo mundo me deu muito amor para me sentir seguro e acreditar em possibilidades. Chorei e sorri com lágrimas. Desisti e me levantei mais do que posso contar, mas, eles são minha principal fonte de motivação. Respirar por mais um dia é o mais significativo da vida. Deus é verdadeiramente generoso com a vida por me oferecer muito amor, amor e amor, às vezes acho que não os mereço. Somente com gratidão posso compensar tudo o que tenho.


  Então, decidi que vou devolver e repor tudo aquilo que recebi na vida, ajudando as pessoas e as organizações na obtenção de novas soluções aos inúmeros problemas existentes na TERRA, através do que conheço de Inteligência de Dados. Todos os momentos somos bombardeados por dados e com isso não damos a devida importância a eles, porém, não conseguimos viver sem eles. Se não houvesse dados, talvez, hoje estaríamos normalmente caminhando pela vida e sem querer expandindo a atuação do COVID-19 entre nós e tirando a possibilidade da continuidade das nossas próprias vidas, amanhã.

 

Relógio da Vida.jpg

    A vida pode ser arrancada facilmente, mesmo cuidando de todos os detalhes possíveis: alimentação, exercícios e costumes regrados para manter uma vida útil mais longa. Mas prever a nossa última vez em que tocamos a TERRA só Deus sabe. Portanto, sugiro que vivamos compreendendo a seriedade da vida pois, no final, somos obrigados a dizer adeus.

 

A gratidão como pedra fundamental da vida


    Há momentos em que me pergunto como será a minha vida daqui para frente e se estou fazendo o meu melhor ou apenas realizando as tarefas diárias, tomando como se eu soubesse os resultados futuros. Mesmo sabendo que é uma combinação dos dois, devo admitir que desperdicei e ainda desperdiço quase todo o meu tempo, realizando as tarefas diárias sem dar o meu melhor. Eu deixei o tempo ajudar em vez de fazer coisas mais significativas para a minha vida e para outras vidas próximas a minha. Aguardo o amanhã, depois outro dia e, finalmente, um ano se passa sem realizar muita coisa, sequer tentar corrigir os erros. Assim sendo, é hora de iniciar uma nova atitude perante a vida e agradecer muito, pois é um privilégio ser capaz de digitar os meus pensamentos ouvindo uma música deliciosa para me sentir grato pelo meu tempo porque, neste exato momento, alguém que eu conhecia está sofrendo e fazendo o possível para suportar a dor. Posso, pelo menos por enquanto, sentar-me com as minhas pernas esticadas quando outras pessoas precisam forçar a perna para se sentir melhor. A minha liberdade é incomparável com a deles. É por isso que, em vez de sentir a minha vida como um fardo, devo ser grato pela minha vida. Eu tenho tudo, posso ver o nascer do sol no horizonte, sentir a brisa do dia e, principalmente, ser amado por todos que me rodeiam. Cada detalhe da vida me derrama sacos de guloseimas. Então eu não deveria estar mais agradecido pela vida em si que tenho?

 

Recurso Mais Varioso nos Tempos Modernos.jpg

   Por outro lado, se tivéssemos melhores dados, talvez, teríamos previsto e ter evitado a proliferação dos mesmos vírus entre nós e assim, ter continuado as nossas vidas, como se nada tivesse ocorrido. Assim, vou compartilhar as 12 razões pelas quais os dados são importantes, o que você pode fazer com eles e como eles se relacionam com o campo de serviços humanos. São elas: Melhora a Vida das Pessoas; Ajuda a Tomar Decisões Informadas; Torna a Organização Proativa em vez de Reativa; Oferece Resultados Desejados; Encontra Soluções para Problemas; Reforça os Argumentos de Defesa; Para o Jogo da Adivinhação; Torna Estratégico as suas Abordagens; Mostra o que Você está Fazendo Bem; Mostra Tudo; Aproveita ao Máximo os seus Recursos e Possibilita o Acesso aos Recursos ao seu Redor.


   Hoje vou me despedir de vocês por aqui, pois, os últimos dados sobre a COVID-19 são extremamente graves e torna a nossa missão de ajudar na obtenção de novas soluções através da Inteligência de Dados algo indispensável, urgente e necessários para que possamos ter um futuro da humanidade melhor. Vou trabalhar nisso. Conte conosco naquilo que for necessário e estou aberto para conversa, projetos, consultorias, treinamentos, críticas e claro, compartilhar os nossos conhecimentos, pois, mais do que nunca precisamos um do outro nesta hora e no planeta que vivemos.

Artigo Reynaldo2.jpg

Reynaldo Saburo Hoshino - DPO

 

Quem é o proprietário dos “meus dados”?

 

      A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) entrou em vigor em agosto de 2020 e ainda restam muitas dúvidas sobre quem é o proprietário dos “meus dados”.
    A verdade é que dados não são mais do que um conjunto de caracteres, que — a menos que vistos no contexto do uso — não têm significado.
    Em se tratando de “dados pessoais”, eles tem significado quando o dado permite identificar, direta ou indiretamente um indivíduo como nome, RG, CPF, gênero, data e local de nascimento, telefone, endereço residencial, localização via GPS, retrato em fotografia, prontuário de saúde, cartão bancário, renda; endereço de IP (Protocolo da Internet) e cookies, entre outros.

   Quando compartilho os meus dados, delego a propriedade para a empresa contratada. E isso aumenta a cada ação voluntária de compartilhamento como compras online, utilização de aplicativos, rede social etc.
     A partir daí, o comportamento dos meus dados pessoais é observado, capturado, armazenado e analisado; gerando assim novos dados (hábitos de consumo, preferências de lazer etc.) a partir de meus dados pessoais.
      Voltando ao assunto "Quem é proprietário dos meus dados?", o termo “propriedade de dados” costuma ser confundido com propriedade legal de dados, que, conforme estabelecido pela LGPD, permanece com o titular dos dados.
   No entanto, no contexto do termo “propriedade dos dados” citado a referida propriedade está dentro da organização e refere-se à responsabilidade de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade de cada indivíduo.